Para Mulheres, Efeito Placebo Pode ter Melhoria Sexual

Os tratamentos para a disfunção sexual feminina são “minimamente superiores ao placebo”, de acordo com uma nova pesquisa na revista Obstetrics and Gynecology.

Os pesquisadores chegaram a essa conclusão depois de analisar oito estudos médicos sobre tratamentos para as dificuldades sexuais das mulheres, incluindo transtorno do desejo sexual hipoativo (HSDD) e problemas com excitação, dor sexual e orgasmo.

Flibanserina , ospemifeno e prasterona intravaginal foram alguns dos tratamentos utilizados.

A análise foi provocada por pesquisas anteriores mostrando um efeito placebo “marcante” em ensaios clínicos de tratamentos para a disfunção sexual feminina.

O que é um efeito placebo?

Quando os pesquisadores testam novos medicamentos ou terapias, um grupo placebo é um componente-chave do estudo. Alguns dos participantes do estudo tomam o medicamento ou realizam a terapia. Mas os demais tomam um placebo , como uma pílula de açúcar, em vez do tratamento testado. Os participantes não sabem se estão no grupo de tratamento ou no grupo placebo. Dessa forma, os pesquisadores podem ter uma ideia melhor de se os resultados (como efeitos colaterais ou melhora dos sintomas) provavelmente provêm do medicamento ou de outros fatores.

Às vezes, as pessoas nos grupos de placebo respondem de maneira semelhante às do grupo de tratamento. Isso é chamado de efeito placebo. Por exemplo, vamos imaginar que Maria e Laura estejam participando de um teste para um analgésico. Maria toma a droga e se sente melhor. Laura toma a droga e se sente melhor também. Isso significa que a droga não tem efeito? Não necessariamente.

A força por trás do efeito placebo é difícil de explicar, mas alguns especialistas acham que as expectativas de um paciente estão envolvidas. Laura, sabendo que ela está participando de um estudo de medicação para dor, pode ver melhorias porque ela espera.

A análise

No total, 2.236 participantes do estudo receberam tratamento para um problema sexual e 1.723 receberam um placebo. Em todos os estudos, as mulheres completaram o Índice de Função Sexual Feminina (FSFI), um questionário desenhado para avaliar a disfunção sexual feminina. Escores mais altos na FSFI correspondem a um melhor funcionamento sexual.

As mulheres que receberam tratamento tiveram suas pontuações aumentadas em 5,35 pontos, o que mostrou melhora. Mas as mulheres nos grupos placebo também tiveram algumas melhorias, com um aumento de pontuação de 3,62 pontos.

Depois de examinar os dados, os autores do estudo determinaram que, para cerca de dois terços das mulheres, os resultados poderiam ser explicados por um efeito placebo.

“Nossos resultados sugerem que os tratamentos atuais para a disfunção sexual feminina são, em geral, minimamente superiores ao placebo, o que enfatiza a necessidade contínua de um tratamento mais eficaz para a disfunção sexual feminina”, escreveram os autores.

Deixe um comentário